Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/2765
Authors: Siqueira, Juliana Margarida
Orientador: Elpídio Serra
Title: A agricultura familiar e a permanência da população no campo no município de Quitandinha região metropolitana de Curitiba
Banca: Cleverson Alexsander Reolon - UEM
Banca: Aurea Andrade Viana de Andrade - UNESPAR
Keywords: Agricultura familiar;Hortaliças;Zona rural;Geografia agrícola;Região Metropolitana;Permanência no campo;Curitiba;Paraná (Estado);Brasil.;Metropolitan region;Rural;Familiar agriculture;Permanence;Curitiba;Paraná (State);Brazil.
Issue Date: 2016
Publisher: Universidade Estadual de Maringá
Resumo: O Estado do Paraná passou por profundas transformações, tais como a modernização da agricultura, acentuadas a partir de 1970, quando a maioria da população paranaense abandonou a área rural e seguiu em direção às cidades. Na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), é possível observar esse processo sob dois ângulos: primeiro, a "recepção" da população migrante (onde muitos desses se direcionaram para área rural) e, segundo, a "expulsão" da população que migra do meio rural para o urbano. O forte processo de industrialização pelo qual passou a capital paranaense atraiu a população do campo tanto para se instalar em Curitiba quanto nos municípios mais próximos. Apesar do crescimento industrial e do setor de serviços na RMC, a população de migrantes mantém algumas peculiaridades: o baixo grau de urbanização em diversos municípios e sua marcante dependência à produção familiar. Diante dessa realidade, a presente pesquisa procurou analisar Quitandinha, município que apresenta a maioria da população residente no campo. A partir de leitura de referenciais teóricos específicos e visitações in loco, foi possível observar que esse município apresenta uma rica e diversificada Agricultura Familiar, com destaque para a produção de verduras e fumo. De acordo com os dados coletados em entrevista, a maioria das pessoas informou gostar de viver nesse local, inclusive os jovens. Desta forma, pode-se considerar que a permanência da população rural de Quitandinha está ligada aos aspectos culturais, visto que a maioria das pessoas é descendente de imigrantes europeus e apresenta fortes laços com a terra. Essas famílias manifestam um nível socioeconômico relativamente médio a alto,à medida que estabelecem relações com o mercado regional. Contudo, ressalta-se que para se inserirem no mercado as famílias ficam subordinadas à ação do capital,sendo muitas vezes, a principal alternativa para apermanência em suas terras,uma vez que não possuem organizações coletivas atuantes para mudar essa realidade.
Abstract: The State of Paraná has passed through deep turns, such as the modernization of agriculture accentuated after 70's, when the most of the population gave up of the countryside and move on to the cities. We observe in the Metropolitan Region of Curitiba (MRC) that process from two angles: first, the "reception" of the migrant (where many of those people were directed to rural areas) and second, the "expulsion" of the population that migrates from rural to urban zones. The intense industrialization by which the state's capital attracted population from the countryside both to Curitiba and in the nearest cities. Despite of the industrial development and the MRC services sector growing, the migrant population retains some peculiarities: the low urbanization degree in several cities and its remarkable dependence on Familiar Agriculture. Before this reality, the goal of this study is to analyze city of Quitandinha that has the majority of the population living in the countryside. From specific theoretical frameworks and local visitations, we observed that this city has a rich and diverse Familiar Agriculture, especially for the production of vegetables and tobacco. According to the collected data, the most people like to live there, including young people. Thus, it can be considered that the permanence of Quitandinha rural population is related to the cultural aspects, since most people are descendants of European immigrants and have strong ties to the land. Those familiar farmers have a relatively medium to high socioeconomic level because keep market relations with the regional market. However, to start at the marketing those families stay subjected to the action of capital, frequently the main alternative to stay on their land since they don't hold collective organizations to change this situation.
URI: http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/2765
Appears in Collections:2.6 Dissertação - Ciências Humanas, Letras e Artes (CCH)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000224423.pdf4,56 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.