Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/346
Authors: Evangelista, Heloisa Beatriz Antoniazi
Orientador: Sidinei Magela Thomaz
Title: Revisão sistemática da literatura sobre invasões biológicas com macrófitas e fatores abióticos relacionados à invasividade da PoaceaeUrochloa arrecta
Other Titles: Sistematic review of the literature about biologial invasions with macrophytes and abiotics factors related to the invasiveness of the PoaceaeUrochloaarrecta
Banca: Edson de Oliveira Fontes - UTFPR
Banca: Roger Paulo Mormul - UEM
Banca: Sandra Andréia Pierini - UNICESUMAR
metadata.dc.contributor.referee4: Karina Fidanza Rodrigues - UEM
Keywords: Mata ciliar;Sombreamento;Conservação;Plantas aquáticas invasoras;Plantas aquáticas;Poaceae Urochloa arrecta;Plantas aquáticas não nativas;Brasil.;Riparian;Aquaticplants;Non-nativespecies;Brazil.
Issue Date: 2014
Publisher: Universidade Estadual de Maringá
Resumo: A vegetação ripária exerce controle no funcionamento do ecossistema, principalmente pela redução da radiação solar, e como consequência limita a produtividade primária nos rios e de modo mais intenso nos córregos. Além disso, zonas ripárias representam áreas de grandes trocas biológicas, físicas e químicas entre o ambiente terrestre e aquático. A redução do sombreamento pela mata ciliar pode desencadear o aumento do crescimento de macrófitas, e pode tornar essa região mais suscetível a invasão de espécies exóticas. Este estudo destaca a espécie de macrófita emergente exótica invasora Urochloa arrecta, que no Brasil é facilmente encontrada em ambientes degradados, provavelmente em função de sua alta capacidade de dispersão por meio de fragmentos, e alta agressividade na colonização de ambientes. De modo geral, foi avaliado se o sucesso de U. arrecta e outras duas espécies nativas está diretamente relacionado à disponibilidade de luz no ambiente. Em dois trabalhos concluiu-se que o sombreamento pela vegetação ripária é um meio a longo prazo de controle dessa espécie exótica invasora. A melhor maneira de se evitarem os impactos negativos de espécies não nativas é prevenir a sua introdução. Devido ao grande potencial invasor de U. arrecta e a perda de diversidade de plantas aquáticas nos ambientes que esta espécie invade, sua presença deve ser levada em consideração para à manutenção da conservação e do funcionamento do ecossistema.
Abstract: Riparian vegetation exerts control on ecosystem functioning, especially in the reduction of solar radiation, and limiting the primary productivity in rivers and streams in the most intense way. In addition, riparian areas represent areas of great biological, physical and chemical exchanges between the terrestrial and aquatic environment. The reduction of shading by riparian vegetation, may trigger increased growth of weeds, and can make this region more susceptible to invasion by exotic species. This study highlights the exotic invasive emergent macrophyteUrochloaarrecta in Brazil, which is easily found in degraded environments, probably due to their high dispersal ability through fragments, and high aggressivity in colonizing new environments. In general, we study if the success of U. arrecta and two native species are directly related to the availability of light in the environment. In both studies, it was concluded that the shading by riparian vegetation is a medium to long-term control of this invasive alien species. Finally, the best way to avoid the negative impacts of non-native species is to prevent their introduction, since the high invasive potential of U. arrecta and the loss of diversity of aquatic plants in environments that this species invades, should be taken into consideration for the conservation and maintenance of ecosystem functioning.
URI: http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/346
Appears in Collections:3.2 Tese - Ciências Biológicas (CCB)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000226354.pdf935,85 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.