Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/3468
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorEliane Cristina de Araújopt_BR
dc.contributor.authorAbrita, Mateus Boldrinept_BR
dc.date.accessioned2018-04-13T19:46:44Z-
dc.date.available2018-04-13T19:46:44Z-
dc.date.issued2012pt_BR
dc.identifier.urihttp://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/3468-
dc.description.abstractDespite the rigidity that characterizes the Brazilian monetary policy, represented mainly by high interest rates, inflation in Brazil is still above the global average, although the unequivocal success of the "Plano Real" and Inflation Targeting Regime (hereafter ITR), in controlling inflation between 1995 and 2011. This observation provides evidence that the Brazilian economy has specificities that some dominant theories about inflation do not consider. Policies guided exclusively by these analyzes, can result in unnecessary sacrifices for the economy. Therefore, this research analyzes the problem of inflation in Brazil after ITR, with the objective of identify the main elements that cause and accelerates of the price level, under the assumption that other factors such as shock costs and inertial component are more important than demand pressures, to explain the problem. Intended for this, initially, will be investigated theories that highlight the main causes of inflation in the different schools of economic thought, whether of demand, supply or inertial. Following, chapter II presents an analytical study of the main indexes of inflation in Brazil, giving particular attention to IPCA, in the last decade, and their groups, subgroups and major disaggregations, with the purpose to check which components most influenced the price levels. Thereby, the movements of the IPCA and it's components are more representative of what happened with Brazilian inflation in the 2000s, in other words, administered prices had a key role in the behavior of inflation, especially in the first half of the decade, after this period, the group "food" begins to push up prices more significantly. Subsequently, chapter III seeks to add the remaining analyzes, further evidence to the study, in order to point out the main factors causing inflation in Brazil. Using an econometric instrumental of a Structural Vector Autoregression SVAR model, aiming to calculate empirically the determinants of the full IPCA index, and it's decompositions between market and administered prices. The econometric approach corroborates the conclusion drawn in chapter II, which verified that the Brazilian inflation suffered a significant pressure by the administered prices and from the "food" group. Not showing that Brazilian´s inflation is caused by demand. Through the analysis of the Variance Decomposition, it was observed that the IPCA is determined primarily by its own variance, besides the exchange rate and to a lesser level, but significant, the price of commodities. Freely prices (defined by the supply/demand system) and administer (prices controlled by the government) follow the same logic, giving particular attention to the strong inertial feature presented by administered prices. The evidence presented in chapter III show that the inertia, external factors and supply conditions overlap the demand in order to determine the inflation. So if inflation shows little sensitivity to the level of activity, and the policy measures to control inflation based solely on demand may present themselves inefficient and ineffective when compared with alternative measures. Finally, chapter IV has as objectives to propose action more in line with the inflationary reality of the Brazilian economy, seeking to reverse the inflationary pressures more characteristics of the period, therefore consequently, external sector and exchange rate, inertia and indexing, commodity and food inflation.en
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Estadual de Maringápt_BR
dc.rightsopenAccesspt_BR
dc.subjectRegime de metas de inflação, Vetor auto-regressivo estrutural e Políticas de controle inflacionáriapt_BR
dc.subjectInflaçãopt_BR
dc.subjectPolítica monetáriapt_BR
dc.subjectBrasil.pt_BR
dc.subjectInflation targeting regimeen
dc.subjectStructural vector autoregression and inflationary control policiesen
dc.subjectBrazil.en
dc.titleInflação brasileira pós regime de metas de inflação : uma investigação acerca de suas causas e políticas de controlept_BR
dc.typemasterThesispt_BR
dc.contributor.referee1José Luis da Costa Oreiro - UNb-
dc.contributor.referee2Maria de Fátima Garcia - UEM-
dc.contributor.referee3Robson Luis Mori - UEM-
dc.description.resumoA despeito da rigidez que singulariza a política monetária brasileira, representada principalmente pelas altas taxas de juros, a inflação no país ainda encontra-se acima da média mundial, apesar do sucesso inequívoco do Plano Real e do Regime de Metas de Inflação (RMI) no controle da inflação entre 1995 e 2011. Essa observação dá indícios de que a economia brasileira possui especificidades que algumas teorias dominantes sobre inflação não incorporam. Logo, políticas norteadas única e exclusivamente por essas análises, podem trazer sacrifícios desnecessários para o país. Sendo assim, esta pesquisa busca analisar com profundidade a problemática da inflação no Brasil pós RMI, com o objetivo de levantar os principais elementos, causadores e aceleradores do nível de preços, sob a hipótese de que outros fatores como choque de custos e componente inercial são tão ou mais relevantes que pressões de demanda, para explicar o problema. Para isso, inicialmente, serão investigadas as teorias que destacam as principais causas da inflação nas diferentes escolas de pensamento econômico, sejam elas de demanda, oferta ou inercial. Na sequência, o capítulo II apresenta um estudo analítico dos principais índices de inflação no Brasil, dando destaque especial para IPCA, na última década, bem como seus grupos, subgrupos e importantes desagregações, a fim de verificar quais os componentes que mais pressionaram os níveis de preços. Desse modo, os movimentos do IPCA e seus componentes são os mais representativos do que ocorreu com a inflação brasileira na década de 2000, ou seja, os preços administrados tiveram papel fundamental no comportamento da inflação, principalmente na primeira metade da década, após esse período o grupo alimentos passa a pressionar os preços de modo mais significativo. Posteriormente, o capítulo III busca acrescentar as demais análises, maiores evidências ao estudo, com a finalidade de apontar os principais elementos causadores da inflação brasileira. Utilizando para tal um instrumental econométrico dos modelos autorregressivos estrutural SVAR, objetivando auferir empiricamente quais são os determinantes do IPCA índice cheio, e suas decomposições entre preços livres e administrados. A abordagem econométrica corrobora com a conclusão apresentada no capítulo II, ao qual, verificou que a inflação brasileira sofreu uma significativa pressão por parte dos preços administrados e dos alimentos. Não caracterizando uma inflação tipicamente de demanda. Através da análise da decomposição da variação, foi observado que o IPCA é determinado fundamentalmente por sua própria variância, além da taxa de câmbio e em menor patamar, porém significativo, o preço das commodites. Os preços livres e administrados seguem a mesma lógica, dando destaque especial para a forte característica inercial apresentada pelos preços administrados. As evidências apresentadas no capítulo III revelam que a inércia, os fatores externos e as condições de oferta se sobrepõem a demanda no sentido de determinar a inflação brasileira. Portanto, a inflação se mostra pouco sensível ao nível de atividade, e as medidas de política de controle baseadas exclusivamente na inflação de demanda podem se apresentar de forma ineficiente e ineficaz se comparadas com medidas alternativas. Por fim, o Capítulo IV tem como objetivos propor medidas mais alinhadas com a realidade inflacionária da economia brasileira, buscando reverter as pressões inflacionárias mais características do período, assim consecutivamente, setor externo e taxa de câmbio, inércia e indexação, inflação de commodities e alimentos.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Ciências Econômicaspt_BR
dc.publisher.initialsUEMpt_BR
dc.subject.cnpq1Ciências Sociais Aplicadaspt_BR
dc.publisher.localMaringá, PRpt_BR
dc.description.physical123 fpt_BR
dc.subject.cnpq2Economiapt_BR
dc.publisher.centerCentro de Ciências Sociais Aplicadaspt_BR
Appears in Collections:2.7 Dissertação - Ciências Sociais Aplicadas (CSA)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000209430.pdf1,88 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.