Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/3941
Authors: Tordoro, Marcos Antonio
Orientador: Ednaldo Aparecido Ribeiro
Title: A ação policial e os direitos humanos : pesquisa sobre valores e atitudes de policiais militares paranaenses
Other Titles: Police Action and the Human Rights: research about values and attitudes from military police officers of Paraná state
Banca: Carla Cecília Rodrigues Almeida - UEM
Banca: Cléber da Silva Lopes - UEL
Keywords: Direitos humanos;Violência;Educação;Policiais Militares;Paraná (Estado);Brasil.;Human rights;Violence;Education;Military police;Paraná (State);Brazil.
Issue Date: 2014
Publisher: Universidade Estadual de Maringá
Resumo: Os diretos humanos não nasceram num determinado momento e sua imprecisão histórica é discutida por inúmeros autores. Contudo, nesse processo complexo de surgimento, os direitos humanos ganham mais evidência a partir criação da Organização das Nações Unidas e da Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948. Esses direitos são desrespeitados há séculos. No contexto brasileiro, a implantação e as ações do regime autoritário da ditadura militar, assim como outras épocas do passado e contemporâneas, marcam a tendência violenta e truculenta do nosso país, notadamente das forças policiais militares dos Estados. A herança do autoritarismo está impressa nos valores e atitudes da população brasileira e, em especial, dos policiais. Também, em muitos países da América Latina, muitas forças policiais apresentam grande herança dos regimes autoritários que governaram sob o império do arbítrio e da violência, com ressalvas ao Chile e Colômbia que, embora tenham passado pelo autoritarismo, atualmente, possuem forças policiais que inspiram confiança em suas populações, com programas de policiamento de proximidade, ou seja, políticas públicas para integrar a polícia à comunidade, com transparência e o foco na prevenção. Para compreender as percepções dos policiais militares do Paraná sobre direitos humanos, com base numa pesquisa nacional, realizada em 2008, a qual mostrou que a população brasileira possui uma tendência violenta e aceita práticas arbitrárias, foi realizada em 2013, uma pesquisa que mostrou que os policiais pesquisados reproduzem a tendência da população, mas suas atitudes e valores de desrespeito dos direitos humanos são potencializados por conta das regras informais, do corporativismo e do sentimento de ineficiência policial quando os direitos humanos são respeitados. Pesquisas dessa natureza não são comuns, principalmente quando estudam policiais militares no contexto brasileiro, nesse processo complexo de sedimentação dos direitos humanos na cultura latino-americana. A pesquisa tem como objetivo contribuir para o esclarecimento de algumas questões desconhecidas quanto ao respeito da dignidade humana por parte dos agentes de segurança, na execução de sua missão constitucional e, em meio aos conteúdos históricos dos direitos humanos, no Brasil e no mundo, à educação em direitos humanos e aos fatores que amplificam a negação desses direitos, os dados da pesquisa foram analisados e traduziram que a postura e as atitudes dos policiais militares do Paraná, em relação aos direitos humanos, é de negação.
Abstract: Human rights were not born in a particular time and its historical inaccuracy is discussed by many authors. However, in this complex process of arising, human rights gain more evidence from the creation of the United Nations and the Universal Declaration of Human Rights of 1948. These rights are disrespected for centuries. In the Brazilian context, the deployment and the actions of the authoritarian regime of military dictatorship, as well as other ages of the past and contemporary, they mark the violent and truculent trend of our country, especially in the military police forces of the states. The heritage of authoritarianism is printed in the values and attitudes of the population and in particular on the police officers. Likewise, in many Latin American countries, many police forces show a huge heritage of authoritarian regimes that ruled under the empire of arbitrariness and violence, with caveats to the Chile and Colombia that although has passed through the authoritarianism, nowadays they own police forces that inspire confidence in their populations, with policing programs of proximity, in other words, public policies to integrate the police to the community, with transparency and focus on prevention. To understand the perceptions of the military police officers of Paraná about the human rights, based on a national survey held in 2008 which showed that the Brazilian population has a violent tendency and accepts arbitrary practices, was held in 2013, a survey which showed that the police officers searched, they reproduce the trend of the population, but their attitudes and values of disrespect for human rights are potentiated because of the informal rules of corporatism and the feeling of police inefficiency when human rights are respected. Researches of this nature are not common, mostly when studying military police in the Brazilian context, this complex process of sedimentation of human rights in Latin American culture. The research aims to contribute to the elucidation of some unknown questions about the respect of the human dignity by the security agents, in the execution of its constitutional mission and, amid the historical contents of human rights issues in Brazil and in the world , to human rights education and the factors that enhance the denial of these rights, the survey data were analyzed and they translated that the attitude and the behavior of the military police officers of Paraná, in relation to human rights, is denial.
URI: http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/3941
Appears in Collections:2.6 Dissertação - Ciências Humanas, Letras e Artes (CCH)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000215146.pdf915,52 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.