Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/3956
Authors: Alves, Roseli
Orientador: Isabel Cristina Rodrigues
Title: O ciclo intercultural de iniciação acadêmica para estudantes indígenas da Universidade Estadual de Londrina
Other Titles: Intercultural cycle of academic initiation to indigenous students at the State University of Londrina
Banca: Wagner Roberto do Amaral - UEL
Banca: Marivânia Conceição de Araújo - UEM
Keywords: Índios;Educação (Superior);Políticas públicas;Programas de ação afirmativa na educação;Comissão Universidade para os Índios (CUIA);Estudantes indígenas;Londrina;Paraná (Estado);Brasil.;Indigenous peoples;Intercultural cycle;Higher Education;Affirmative Action Public Policy;Londrina;Paraná (State);Brazil.
Issue Date: 2016
Publisher: Universidade Estadual de Maringá
Resumo: A partir da implantação da Lei Estadual Nº 13.134/2001, modificada posteriormente pela lei Nº 14.995/2006, que estabeleceu a criação das vagas suplementares para os indígenas nas universidades públicas do Estado do Paraná, várias foram as estratégias da Comissão Universidade para os Índios (CUIA) visando fortalecer o ingresso, a permanência e a integralização dos cursos pelos estudantes universitários indígenas nas Instituições de Ensino Superior do Estado do Paraná (IES) beneficiados pela lei. Dentre estas, está a experiência da implantação do Ciclo Intercultural de Iniciação Acadêmica pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), o qual foi criado em 2013 e implantado em 2014. Ao ser aprovado no Vestibular dos Povos Indígenas, o estudante se matricula passando a frequentar o Ciclo obrigatoriamente por um ano e, sendo aprovado, realiza a matrícula no curso de graduação de sua escolha. Este curso tem como meta fortalecer a permanência destes estudantes na UEL, diminuindo a evasão e consequentemente elevando o índice de formandos. Consta no trabalho, primeiramente, as contribuições da CUIA-Estadual a qual figura como principal responsável e norteadora de políticas de permanência dentro das IES segue mostrando as demandas da CUIA-UEL e, posteriormente, descreve o Ciclo como instrumento de ação necessário ao fortalecimento da política pública de ação afirmativa no Paraná. Como referencial teórico apresenta-se especialmente as contribuições dos pesquisadores de ações afirmativas e da inserção dos povos indígenas nas universidades do Estado do Paraná, a compreensão sobre as Fronteiras Étnicas, por Fredrik Barth (1998), a Teoria de Campo de Bourdieu (1996), as relações entre agentes colonizadores e colonizados ensinados por Balandier (1969) no campo da Antropologia Política, seguindo a orientação metodológica para o estudo de caso abordado por Yin (2001) e para as entrevistas semiestruturadas utilizou-se da técnica do gravador de acordo com Queiroz (1991). O estudo teve como metodologia o acompanhamento das reuniões e atividades do Ciclo Intercultural e das ações da Comissão Universidade para os Índios (CUIA); realização de entrevistas abertas semiestruturadas com integrantes da CUIA e com os estudantes e educadores do Ciclo; revisão da literatura sobre o assunto e análise dos atos normativos de criação e funcionamento do mesmo. Com este trabalho espera-se refletir sobre a possibilidade de ampliação do Ciclo Intercultural para as IES públicas do Paraná.
Abstract: The implementation of the State LawN°. 13,134 / 2001, modified later by the Law N°. 14,995 / 2006, established the creation of additional places for the indigenous peo-ples in public universities in the state of Paraná. Since then several strategies were created by the University Commission for the Indians (CUIA) in order to strengthen the admission, continuity and graduation for indigenous university students from Paraná s Higher Education Institutions (HEIs) benefited by the law. Among those strategieslies the implementation experience of theLondrina State University (UEL)Intercultural Cycle for Academic Initiation which was created in 2013 and im-plemented early 2014. Upon successful admissionin the Indigenous Peoples Ad-mission Exam, it is mandatoryforenrolled students to attend the Cycle during a year and if approved they can be enrolled in an undergraduate course of their choice. TheCycle program aims to strengthen the permanence of these students at UEL, reducing college dropouts and consequently raising graduationrates. This research goes over, first, CUIA-State s contributions which figures as main guiding head for permanence policies within the HEI s then shows CUIA-UEL sdemands and sub-sequently describes the cycle as an indispensable action tool for the strengthening of affirmative action public policy in Paraná. The theoretical framework presents es-pecially the contributions of researchers from affirmative action and inclusion of in-digenous peoples in the State of Paraná universities, the understanding of Ethnic Boundariesby Fredrik Barth (1998), Bourdieu's Field Theory (1996), relations be-tween "colonizers" and "colonized" taught by Balandier (1969) in the field of political anthropology, following methodological guidelines for the case study addressed by Yin (2001) and the semi-structured interview was used recorder technique accord-ing to Queiroz (1991). The study's methodology is based on watching meetings and activities of the Intercultural Cycle and actions by the University Committee for the Indians (CUIA); interviewing (in a semi-structured way) members of the open CUIA, as well as Cycle sstudentsand educators; reviewingliterature about the subject; and analyzing normative acts among Cycle s creation and operation. It is expected from this work to reflect over the prospectsof increased coverage of the "Intercultural Cy-cle" in the public universitiesof Paraná.
URI: http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/3956
Appears in Collections:2.6 Dissertação - Ciências Humanas, Letras e Artes (CCH)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000224578.pdf1,13 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.