Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/4087
Authors: Zago, Luana Cimatti
Orientador: Sonia Aparecida Lopes Benites
Title: Discurso bíblico : o arrostamento de duas formações discursivas distintas
Banca: Maria Célia Cortez Passetti - UEM
Banca: Roberto Leiser Baronas - UFSCar
Keywords: Análise do discurso;Discurso religioso;Homogeneidade;Heterogeneidade;Discurso bíblico;Formação discursiva;Brasil.;Discursive formation;Religious discourse;Homogeneity;Heterogeneity;Brazil.
Issue Date: 2014
Publisher: Universidade Estadual de Maringá
Resumo: Este trabalho constitui um gesto de leitura sobre um conjunto de textos bíblicos registrados tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, especialmente nos evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João, por meio dos quais promovemos o arrostamento de duas formações discursivas (FDs) distintas, dentro do discurso religioso, uma relativa ao discurso dos judeus, outra ao discurso de Jesus Cristo. O discurso religioso possui caráter constituinte (MAINGUENEAU, 2006) e, por isso, apresenta enunciados cuja legitimidade é conferida por seu próprio estatuto enunciativo. Objetivamos identificar as relações polêmicas/antagônicas, bem como os pontos de intersecção entre ambas as FDs, tendo em vista contradições ideológicas que, concomitantemente, as unem e dividem. O conceito de FD com o qual trabalhamos parte de Pêcheux e ancora-se em Courtine (2006, 2009), que a vê não como um bloco homogêneo, mas como uma unidade dividida em si mesma e assombrada por seus antagonistas. Tanto os enunciados atribuídos aos judeus quanto os atribuídos a Jesus Cristo constituem-se partir do reagrupamento de já-ditos que se apoiam em tradições discursivas distintas. O discurso de Jesus Cristo figura como o antagonista assombrador da FD judaica. Esse antagonismo dá-se principalmente pelas diferentes "formas-sujeito messiânicas" apresentadas pelas FDs. Enquanto o Messias da FD judaica apresenta-se acentuadamente político-terreno, com a função de aniquilar os inimigos, o Messias da FD cristã apresenta-se transcendente, com a missão de trazer perdão de pecados. A análise demonstra que o discurso do sujeito da FD cristã, tendo assumido uma posição-sujeito divina, figura como o que não pode e não deve ser dito na FD judaica. A homogeneidade entre as duas FDs pode ser constatada na repetibilidade de elementos do discurso religioso e na memória discursiva; a heterogeneidade, por sua vez, dá-se tanto em termos de contraste entre o físico e o espiritual, o material e o transcendente, o terreno e o celestial, como também em termos de confronto, de afrontamento ideológico.
Abstract: The purpose of this research is to read a set of biblical texts in the Old and the New Testament, mainly, in the four Gospels, namely, Mathew, Mark, Luke, and John,,in order to perform a comparison of two distinct discursive formations (DFs) in the religious discourse, one related to the Jewish discourse, and the other, to the discourse of Jesus Christ. The religious discourse has a constituent character (MAINGUENEAU, 2006) and, for this reason, presents enunciations whose legitimacy is granted by its own enunciative nature. This paper aims to identify the antagonistic/polemical relations, as well as the intersection points between them, considering the ideological contradictions that, concomitantly, connect and separate them. The DF concept used here is based on Pêcheux and anchored to the theory of Courtine (2006, 2009), who comprehends DF not as a homogenous block, but as a unity divided in itself and haunted by its antagonists. Both the enunciations attributed to the Jews and to Jesus Christ are constituted taking into account the regrouping of the already-said DFs, which are supported by distinct discursive traditions. The discourse of Jesus Christ appears as the haunting antagonist to the Jewish DF. This antagonism happens, chiefly, due to the different "messianic subject form" shown by the DFs. The Messiah of the Jewish DF is profoundly presented as earthly-political, with the function of annihilating the enemies, whereas the Messiah of the Christian DF is transcendental, with the mission of bringing forgiveness for the sins. The analysis demonstrates that the discourse of the subject of the Christian DF, having embraced a divine subject position, is revealed as the one who cannot or must not be said in the Jewish DF. The homogeneity between the two DFs can be corroborated in the repeatability of elements of the religious discourse and of the discursive memory; the heterogeneity, on the other hand, happens not only in terms of contrast between the physical and the spiritual, the material and the transcendental, the earthly and the celestial aspects, but also in terms of ideological confrontation and conflict.
URI: http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/4087
Appears in Collections:2.6 Dissertação - Ciências Humanas, Letras e Artes (CCH)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000216413.pdf867,31 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.