Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/4995
Authors: Zviejkovski, Iuli Pessanha
Orientador: João Batista Campos
Title: Dinâmica da serapilheira e populações de insetos edáficos em florestas secundárias na planície de inundação do alto rio Paraná.
Other Titles: Dynamics of litter and edaphic populations of insects in secondary forests in the floodplain of the upper Paraná River.
Banca: Leila Teresinha Maranho - Universidade Positivo (Curitiba)
Banca: Edson Fontes de Oliveira - Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)
Banca: Karina Fidanza - UEM
metadata.dc.contributor.referee4: Rosilaine Carrenho - UEM
Keywords: Ecologia de florestas tropicais;Sucessão ecológica;Deposição serapilheira;Insetos edáficos;Insetos de solo;Grupos tróficos;Florestas secundárias;Ciclagem de nutrientes;Planície de inundação;Alto rio Paraná;Brasil.;Secondary forests;Litter deposition;Nutrient cycling;Soil insects;Trophic groups;Floodplain of the upper Paraná River;Brazil.
Issue Date: 2013
Publisher: Universidade Estadual de Maringá
Resumo: Em muitas regiões do Brasil, os biomas florestados são caracterizados principalmente por florestas secundárias, sendo necessária a compressão de sua dinâmica. O estudo foi realizado em ilhas presentes na planície de inundação do alto rio Paraná (PR/Brasil), e teve como objetivo principal avaliar a produção e decomposição de serapilheira assim como variações na riqueza e composição trófica de insetos de solo em áreas de florestas secundárias. As áreas compreendem quatro antigas pastagens, em processo de sucessão secundária há 15 anos (floresta Mista, Cecropia, Croton e Goiaba) em ordem decrescente de desenvolvimento sucessional e, um fragmento de floresta primária (floresta Remanescente). A produção de serapilheira foi estimada com o uso de 10 coletores por área por um período de 13 meses, nos anos de 2009 e 2010, com uma produção média de 9493,47 kg/ha/ano. A maior deposição de serapilheira foi após o fim do período seco e início da primavera (setembro e outubro). O aporte de serapilheira seguiu um padrão de crescimento de acordo com o avanço dos estágios sucessionais, não corroborando a hipótese de maior produção em estágios iniciais da sucessão. A análise da decomposição serapilheira foi avaliada por meio de litter bags em um período de 120 dias, com coletas mensais. A taxa de decomposição foi maior para a floresta Remanescente, que apresentou a maior constante k (0,047 g g^-1 dia) e consequentemente menor tempo de meia vida (14 dias). A floresta Mista foi a que apresentou a menor constante k (0,021 g g^-1 dia) e maior tempo de meia vida (33 dias), que pode estar relacionada a maior relação C:N apresentada por esta área. Diferenças significativas nas taxas de decomposição entre as áreas estudadas não foram apontadas, refletindo à rápida estabilização do ambiente de decomposição e ciclagem de nutrientes nas florestas secundárias. Os insetos de solo foram capturados por armadilhas do tipo pitfall, totalizando 53 morfo-espécies, sendo a ordem Coleoptera a mais abundante. A hipótese de aumento na riqueza de insetos com o avanço do processo sucessional não foi confirmada. A floresta Croton apresentou a maior riqueza (S=37) e a Goiaba a menor (S=30). Asim, como a composição de espécies foi similar entre todos os estágios sucessionais, a composição trófica também se mostrou semelhante, diferindo apenas na abundância de cada categoria trófica. Pelo teste de Qui-Quadrado, os xilófagos e coprófagos estiveram relacionados à floresta Remanescente. Para as áreas estudadas, a riqueza de insetos não se apresentou como um bom indicador de desenvolvimento sucessional. Baseado na composição de espécies e estrutura dos grupos tróficos é possível indicar que as áreas de florestas secundárias, independentemente da estrutura e riqueza de sua vegetação, apresentaram bons indicativos de recuperação em 15 anos de sucessão secundária. A similaridade entre alguns dos parâmetros analisados, produção e decomposição da serapilheira, assim como a composição dos insetos de solo, pode ser uma causa do efeito homogeneizador das cheias, evento que diminui a heterogeneidade ambiental na planície de inundação.
Abstract: In many regions of Brazil, the forest biome is characterized mainly by secondary forests, but little is known about their dynamics. The study was conducted on islands in the upper Paraná River floodplain (PR/Brazil), and aimed to evaluate the production and decomposition of litter, as well as variations in the richness and trophic composition of soil insects in areas composed by secondary forests. The areas are consisted by of four old pastures that have been in secondary succession process for 15 years (Mixed forest, Cecropia, Croton and Guava) in descending order of succession and development, besides a fragment of primary forest(Remaining Forest). Litter production was estimated using 10 collectors per area over a period of 13 months, in the years 2009 and 2010, with an average output of 9493.47 kg/ha/year. Thelargest litter fall was after the end of the dry season and early spring (September and October).The input of litter followed a growth pattern according to the advancement of successional stages, does not corroborate the hypothesis of increased production in the early stages of succession. Analysis of litter decomposition was evaluated using litter bags in a period of 120 days, with monthly collections. The decomposition rate was higher for the Remnant Forest, with the highest constant K (0.047 g g^-1 day) and consequently shorter half-life (14 days). The Mixed forest showed the smallest constant k (0.021 g g^-1 day) and longer half-life (33 days), which may be related to a higher C:N ratio observed for this area. There were not significant differences in decomposition rates among the studied areas, reflecting the rapid stabilization of the decomposition environment and nutrient cycling in secondary forests. The soil insects were captured by pitfall traps, totaling 53 morpho-species; Coleoptera was the most abundant order. The hypothesis of increased richness of insects with the advancement of sucesisonal process was not confirmed. The Croton forest was the richest (S = 37) and Guava had the lowest richness (S = 30). As species composition was similar among all successional stages, trophic composition was also similar, offering only in the abundance of each trophic category. According to Chi-Square test, coprophagous and xylophagous were related to forest remnant. For the studied areas, the richness of insects does not seem to be a good indicator of successional development. Based on the species composition and structure of trophic groups, it is possible to indicate those areas of secondary forests, regardless of the structure and richness of its vegetation, showed good evidences indicators of recovery in 15 years of secondary succession. The similarity between some of the parameters analyzed, production and litter decomposition, as well as the composition of soil insects, can be a cause of the homogenizing effect of the floods, an event that decreases the environmental heterogeneity of the floodplain.
URI: http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/4995
Appears in Collections:3.2 Tese - Ciências Biológicas (CCB)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000216275.pdf738,52 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.